Música - Cantora da Eritreia - Helen Berhane

Category:

Reações: 

Nome: Helen Berhane País: Eritreia Profissão: Cantora de Gospel


Helen Berhane, uma cantora de gospel da Eritreia, esteve em prisão durante dois anos e meio, durante os quais foi continuamente torturada para que aceitasse renegar a sua fé e música. Helen Berhane recusou fazê-lo. Foi presa em Maio de 2004 depois de ter gravado um disco de música gospel. Permaneceu incomunicável, sem acusação ou julgamento efectuado durante dois anos e meio no campo do Exército Mai Serwa, perto de Asmara, a capital da Eritreia. Passou a maior parte do tempo fechada num contentor metálico, usado como uma cela prisional. A tortura que mais exerceram sobre Helen Berhane foi atá-la, mãos e pés atrás das costas, de cara virada para o chão e espancada repetidamente. Em Outubro de 2006 foi admitida no hospital de Asmara. Hoje, Helen Berhane move-se numa cadeira de rodas pelos danos causados aos seus pés e pernas. Após uma campanha internacional de alto nível da Amninistia Internacional e acções de outras ONG, ela foi libertada em Dezembro de 2006. Foi levada para Khartoum, a capital do Sudão, mas, mesmo aí, temia pela sua segurança. Helen é um membro da Igreja Rema, que vinha sendo perseguida nos últimos 4 anos. Ela foi um dos 2 mil membros a serem banidos das igrejas evangélicas da Eritreia e que foram presos nos anos recentes. Apesar de a liberdade de religião ser um direito consagrado na Constituição da Eritreia, membros de cerca de 35 Igrejas Cristãs Evangélicas enfrentam perseguições. No mês de agosto de 2007, um encontro marcante aconteceu na sede do Grupo MK de Comunicação entre a cantora e pastora Fernanda Brum e Douglas Monaco e Hector Tamez, líderes de Portas Abertas – ministério que dá suporte à Igreja Perseguida em todo o mundo. Na ocasião, Fernanda Brum, que é embaixadora do Portas Abertas no Brasil, ofereceu o título de cantora do ano – prêmio recebido na edição 2007 do Troféu Talento – a Helen Berhane.Quando tomou conhecimento da história, Fernanda Brum levantou um clamor por Helen no Brasil. Na noite da premiação, a pastora contou brevemente a história da africana perseguida, dedicando também o troféu ao Ministério Portas Abertas: "Eu já tinha a intenção de dedicar o troféu a Helen porque a cantora do ano foi ela, dentro daquele contêiner, apanhando porque gravou um CD evangélico e alcançou milhares de adolescentes. Não só as forças espirituais, mas os poderes políticos e físicos se voltaram contra ela, que sofreu na própria carne". Para o secretário geral do Portas Abertas no Brasil, Douglas Monaco, o gesto de Fernanda só ratifica aquilo que está escrito na Palavra de Deus. "É como se ela estivesse dizendo aos irmãos que sofrem perseguições: 'Estamos juntos'". O correspondente internacional do Ministério, o mexicano Hector Tamez, aproveitou a oportunidade para lembrar do papel dos cristãos no apoio à Igreja Perseguida. "Existem irmãos muito queridos passando por tempos difíceis, e eles estão precisando de nós. Orem por eles".